Notícias

Casos de covid e óbitos voltam a crescer no Brasil e em Sergipe

13/01/22 às 15:01 por Sindjuf/SE
  • Compartilhar via Facebook
  • Compartilhar via Twitter
  • Compartilhar via Whatsapp
  • Compartilhar via Email

Do Sindjuf/SE 

 

Quase dois anos, o mundo ainda enfrenta uma séria pandemia, e muito se deve aos erros e omissões de governantes e autoridades responsáveis. A vacinação, ainda que atrasada, vem surtindo o efeito desejado, proteger as pessoas de casos graves que levem a internação e a óbito.  

 

Os números da covid-19 começaram a, finalmente, cair no segundo semestre de 2021, com o avanço da cobertura vacinal, sobretudo quando da aplicação da segunda dose. A evolução dos estudos, porém, passou a considerar três doses como um protocolo mais eficaz. 

 

Antes que pudéssemos comemorar, veio mais uma variante do vírus, a ômicron. Apesar do “apagão de dados” do Ministério da Saúde, desde o dia 10 de dezembro de 2021, a ômicron já chegou ao Brasil, e é sabido que os leitos de hospitais voltaram a lotar.  

 

No último dia 12, quarta-feira, foram registrados no país 88.464 novos casos da doença e 138 mortes somente nas 24 horas anteriores.  

 

Com isso, a média móvel de casos nos últimos 7 dias foi a 52.714 - a maior registrada desde 1º de julho do ano passado (quando estava em 54.115) -, há pouco mais de 6 meses, voltando a ficar acima da marca de 50 mil. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de +614%, apontando para uma alta nos casos da doença. 

 

 Os dados foram compilados pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) junto às secretarias estaduais de saúde. 

 

Ao todo, no Brasil, já são mais de 22.700 casos registrados e mais de 620 mil mortes

 

As festas e viagens de fim de ano, sem dúvida, contribuíram para os números voltarem a subir. 

 

Sergipe 

Em Sergipe, o cenário não é diferente. O estado está entre os que registram alta em suas taxas, ao lado de Alagoas, Bahia, Piauí, Minas Gerais, Mato Grosso, Pará, Acre, Roraima, Amazonas e Paraná. 

 

Na quarta, 12, foram registrados 170 novos casos de covid em Sergipe.  

 

Para piorar toda a situação, um surto de síndromes gripais, sobretudo influenza, explodiu no último mês, doença para a qual o estado não tem vacina no momento. 

 

A Secretaria de Saúde de Aracaju, inclusive, ampliou o atendimento para covid para todas as unidades básicas de saúde, justamente por causa do surto de gripe. 

 

O prefeito da capital, Edvaldo Nogueira, anunciou hoje, 13, que não haverá festas públicas no Carnaval – embora devesse proibir as particulares também. 

 

O momento ainda inspira muito cuidado. Não só o uso de máscaras e a higienização das mãos, mas também o distanciamento social continua sendo fundamental para combater a contaminação de covid e até mesmo das síndromes gripais, uma vez que estas também lotam hospitais e postos de saúde, podem levar à internação e debilitam o sistema imunológico, facilitando a infecção de covid. 

Clique na imagem para ampliar