Notícias

Cinquenta e seis senadores traíram os trabalhadores, e um deles é Alessandro Vieira

Do Sindjuf/SE

 

A Reforma da Previdência foi aprovada em primeiro turno no Senado. Foram 56 senadores apoiando o fim da aposentadoria, contribuindo para o sofrimento do povo na hora em que ele mais precisa, na velhice. Entre os traidores, está um que muito nos envergonha. Senador por Sergipe, Alessandro Vieira (Cidadania) tinha a cara da renovação na política e, sendo originalmente servidor público (delegado), fazia acreditar que trabalharia em prol dos trabalhadores. Ludibriamo-nos.

 

De Maria do Carmo (DEM), não se podia esperar outra atitude: ela não compareceu à votação. Apesar de ter dito em entrevista ao Sindjuf/SE que votaria contrariamente à Reforma, a senadora se ausentou e não votou, como já é de seu feitio. Já Rogério Carvalho (PT) cumpriu com sua palavra e disse não à PEC 06/19, como garantiu ao Sindjuf/SE.

 

Vale ressaltar que 19 senadores não se venderam ao governo e votaram contra essa reforma que acaba com a aposentadoria.

 

Votação

A votação começou na terça-feira, dia 1º, e foi concluída no dia seguinte, 2, com a votação dos destaques. A única alteração aprovada, proposta pelos senadores do PT, foi a que acabava com as mudanças no abono salarial. Assim, o benefício fica mantido para o trabalhador que ganha até dois salários mínimos (R$ 1.996 atualmente) e não para quem ganha até R$ 1.364,43, como propunha o texto aprovado na Câmara dos Deputados.

 

Outros destaques que buscavam amenizar os efeitos negativos da Reforma foram rejeitados ou retirados. Incluindo destaque relativo a uma das regras de transição, que acabava com o “pedágio” de 100% sobre o tempo restante para o direito à aposentadoria na data de entrada em vigor da reforma. Essa regra atinge trabalhadores do setor privado e do serviço público. 

 

Se aprovada em segundo turno, a reforma trará, entre outras, as seguintes mudanças:

 

  • Idade mínima para se aposentar: 62 anos para mulheres e 65 anos para homens;
  • Tempo mínimo de contribuição: 15 anos para mulheres e homens (20 anos para homens que começarem a trabalhar depois que a reforma entrar em vigor);
  •  Tempo de contribuição para se aposentar com 100%: 35 anos para mulheres e 40 anos para homens;
  • Servidores públicos: 62 anos para mulheres 65 anos para homens. Ambos precisam cumprir 25 anos de contribuição, 10 anos no serviço público e cinco anos no mesmo cargo
  • Novo cálculo do valor da pensão por morte: 50% da aposentadoria mais 10% por dependente, não podendo o valor ficar abaixo de um salário mínimo.

 

Veja a lista de como votou cada senador:

 

A favor –

 

Alessandro Vieira (CIDADANIA)  

Mailza Gomes (PP)

Marcio Bittar (MDB)

Sérgio Petecão (PSD)

Rodrigo Cunha (PSDB)

Eduardo Braga (MDB)

Omar Aziz (PSD)

Plínio Valério (PSDB)

Lucas Barreto (PSD)

Angelo Coronel (PSD)

Eduardo Girão (PODEMOS)

Tasso Jereissati (PSDB)

Izalci Lucas (PSDB)

Reguffe (PODEMOS)

Jorge Kajuru (CIDADANIA)

Luiz do Carmo (MDB)

Vanderlan Cardoso (PP)

Roberto Rocha (PSDB)

Antonio Anastasia (PSDB)

Carlos Viana (PSD)

Rodrigo Pacheco (DEM)

Nelsinho Trad (PSD)

Simone Tebet (MDB)

Soraya Thronicke (PSL)

Jayme Campos (DEM)

Juíza Selma (PODEMOS)

Wellington Fagundes (PL)

Zequinha Marinho (PSC)

Daniella Ribeiro (PP)

José Maranhão (MDB)

Fernando Bezerra Coelho (MDB)

Jarbas Vasconcelos (MDB)

Ciro Nogueira (PP)    

Elmano Férrer (PODEMOS)

Marcelo Castro (MDB)         

Álvaro Dias (PODEMOS)    

Flávio Arns (REDE)

Arolde de Oliveira (PSD)     

Flávio Bolsonaro (PSL)        

Romário (PODEMOS)         

Styvenson Valentim (PODEMOS)   

Confúcio Moura (MDB)       

Marcos Rogério (DEM)                    

Chico Rodrigues (DEM)       

Mecias de Jesus (REPUBLICANOS)          

Telmário Mota (PROS)        

Lasier Martins (PODEMOS)

Luis Carlos Heinze (PP)       

Dário Berger (MDB)

Esperidião Amin (PP)

Jorginho Mello (PL)  

José Serra (PSDB)

Major Olímpio (PSL)

Mara Gabrilli  (PSDB)

Eduardo Gomes (MDB)

Kátia Abreu (PDT)

 

Contra –

 

Rogério Carvalho (PT)

Irajá (PSD)

Veneziano Vital do Rêgo (PSB)

Humberto Costa (PT)

Jean Paul Prates (PT) 

Paulo Paim (PT)        

Zenaide Maia (PROS)

Acir Gurgacz (PDT)

Fernando Collor (PROS)

Renan Calheiros (MDB)

Randolfe Rodrigues (REDE)

Jaques Wagner (PT)

Otto Alencar (PSD)   

Cid Gomes (PDT)      

Leila Barros (PSB)    

Fabiano Contarato (REDE)              

Eliziane Gama (CIDADANIA)       

Weverton (PDT)        

Paulo Rocha (PT)

Clique na imagem para ampliar